Services
& Support

Serviços de Implementação

ARIES
Arquitetura para a Implementação Rápida de Sistemas Empresariais

ARIES é uma metodologia para a implementação rápida de sistemas complexos de software empresarial de grande escala, incluindo sistemas nacionais, regionais e de múltiplas instalações.

services-support-consultationMuitos projetos de grande escala falham por uma razão muito simples: eles tomam muito tempo. Eles ficam atolados em processos de complexidade e burocracia excessiva, os custos aumentam e o cliente perde a confiança. Muitas vezes, o resultado é que uma fração do sistema que entra em operação e é declarado um sucesso, mas o alcance do que é implementado é muito limitado para fornecer os benefícios pretendidos.

Outra causa comum de falha é que as metodologias e cronogramas são muito rígidos. De acordo com o livro da Escola de Negócios de Harvard Managing Projects Large and Small::

Metodologias convencionais de gerenciamento de projetos funcionam melhor quando as possibilidades são realmente boas de que o projeto se desenrolará como previsto durante a sua fase de planejamento … quando não há descoberta real do que está acontecendo. … 50% [de grandes projetos de TI] são falhas imediatas.

Projetos de TI complexos raramente se desdobram conforme o planejado. É comum que projetos travem em processos excessivamente formais com horários rígidos, então não há esperança de cumprir prazos, a menos que os prazos previstos sejam excessivamente (e inaceitavelmente) longos.

Muitas metodologias de implementação (especialmente aquelas usadas por empresas de consultoria e integração de sistemas) são projetadas para executar aplicações personalizadas ou produtos que não podem ser facilmente adaptados para o cliente. Soluções personalizadas podem ser muito demoradas – tanto para o cliente quanto para o fornecedor do software – e muitas vezes não fornecem a funcionalidade adequada. Ao implementar produtos inflexíveis, o cliente precisa se adaptar ao produto, o que é muitas vezes referido como “melhores práticas”, abordagem esta muito trabalhosa para o cliente que pode não ter os resultados desejados.

A metodologia ARIES é baseada em uma premissa diferente: os problemas de informação complexos são melhor (e em muitos casos somente podem ser) resolvidos com produtos de software sofisticados adaptáveis às necessidades específicas do cliente. Tais produtos são um pré-requisito para usar a metodologia ARIES.

A metodologia ARIES pode ser usado em combinação com a maioria das disciplinas de gerenciamento de projetos, como PMI e PRINCE2, e ferramentas gráficas como Pert e Gantt. No entanto, ela não trabalha com metodologias derivadas, ou destinadas principalmente para a fabricação, controle de processos, ou processos baseados em evidências. Tais metodologias geralmente não são ágeis o bastante para implementações de software complexos.

Princípios da ARIES

  • Adaptabilidade. Embora seja natural querer mudar alguns processos do cliente durante a implementação de um novo produto, grandes alterações são melhor realizadas antes ou depois da execução – e não durante. O essencial do ARIES é ser um produto que pode adaptar-se rapidamente à forma como o cliente opera, não forçando o cliente a mudar. Após este estágio, a capacidade de adaptação permite que o sistema cresça e evolua à medida que o cliente evolui.
  • Envolvimento Executivo do Cliente. A própria definição de um sistema da empresa implica que ele terá um impacto dramático sobre a mesma. Sem constante envolvimento executivo pelo cliente, há pouca chance de sucesso.
  • Feedback do cliente antecipado, processos iterativos.  A “abordagem em cascata”, que pressupõe que cada etapa de um projeto seja concluída antes de iniciar a próxima não é um modelo prático para implementações ágeis. Projetos funcionam melhor com uma abordagem iterativa em que o feedback do cliente ocorre precocemente e de forma contínua, uma vez que a configuração do sistema é refinada e vários marcos são exercidos simultaneamente.
  • Adoção rápida. A metodologia ARIES enfatiza a entrega de um sistema em pleno funcionamento e para então, fazer alterações adicionais em intervalos regulares ao longo dos próximos 90 dias, com base no feedback do usuário. Muitos projetos ficam atolados em ciclos infinitos de pedidos de usuários antes que eles tenham qualquer experiência prática com o produto.
  • Validação de Cliente, Sem Teste. Ao instalar um produto, não há necessidade de o cliente testá-lo – ele já foi testado. Há, no entanto, uma necessidade de o cliente avaliar e validar que a configuração, fluxos de trabalho, migração e integração de dados, bem como quaisquer relatórios especiais refletem as necessidades do cliente. Esta validação resulta em um conjunto de certificações de entrada em operação.
  • All-At-Once Go-Live (“Entrada em Operação de Uma Só Vez”).  Abordagem na qual toda a instalação entra em operação com o sistema completo ao mesmo tempo (ou ao longo de um período de algumas semanas) geralmente funciona melhor, assim evitando a inserção de dados duplicados em sistemas antigos e novos, já que sistemas parcialmente implementados muitas vezes fornecem funcionalidade inadequada para operar de forma eficaz. E mais importante: esta abordagem fornece benefícios de um sistema em pleno funcionamento para o cliente muito mais cedo.